Página Inicial | Mapa da cidade | Telefones Úteis | Fale conosco | Webmail | Horoscopo e tarot | chat | Receber noticias
Notícias :
Previous Next
Mongaguá: Luta livre solidária arrecada uma tonelada de alimentos

Os moradores e turistas de Mongaguá que escolheram o show de luta livre para encerrar em grande estilo o feriado do Dia do Trabalho (1º/05) não se arrependeram. O festival lotou o Ginásio de Esportes de Agenor de Campos e as feras desse esporte realizaram um verdadeiro espetáculo, no qual o maior vencedor foi a solidariedade. Aproximadamente uma tonelada de alimentos foi arrecadada e será revertida às comunidades carentes por meio do Fundo Social de Solidariedade.

Mongaguá: Luta livre solidária arrecada uma tonelada de alimentos

O show contou com o apoio de diversos patrocinadores e da Prefeitura de Mongaguá. Ao longo do evento, foram distribuídos brindes e, ao final, uma linda bicicleta foi sorteada. O sortudo: O funileiro aposentado Aristides de Souza, morador de Agenor de Campos, que já saiu do ginásio com a bike nas mãos. O show foi gravado para exibição na TV.

Ao som da música-tema do filme Rock Balboa, os 12 lutadores adentraram ao ringue pelo túnel negro e sob cortina de fumaça, para delírio do público. Bob Léo, apresentador do Supercatch e organizador do evento, narrou o show ao lado da comentarista Dra. Gisele. Para ele, “o espetáculo foi maravilhoso e com casa cheia. Festa e alegria. É isso que o trabalhador e a comunidade merecem”.

Duelos – No primeiro combate, o infernal Toco enfrentou o super-garoto Max Miller e seu deu mal. Apesar de dominar os dois primeiros rounds, com socos e pontapés se utilizando das cordas e dos corners, Toco cedeu aos ataques do super-garoto, que, apoiado pelo público, recuperou-se e disparou diversos golpes contra Toco até jogá-lo na lona e imobiliza-lo. Max chegou a jogar Toco para fora do ringue.

Já no segundo duelo, o boliviano Black Rurano não foi páreo para o ídolo da criançada, o Sonic. Com diversos pontapés, o boliviano conteve os golpes de Sonic nos dois primeiros assaltos, apesar de ser surpreendido por uma tesoura de Sonic no final do 1º round, que o deixou zonzo. Provocador, Sonic conclamou o apoio da galera e derrotou o boliviano no início do 3º assalto.

O aniquilador Dante e o mestre de capoeira Kid Abelha fizeram o terceiro combate. Desde o início, aniquilador golpeou o capoeirista e quase encerrou a luta já no 1º assalto. Kid Abelha voltou para o 2º round motivado pelo apoio do público e conseguiu uma ótima sequência de golpes. No 3º round, prevaleceu a vontade popular e, com uma tesoura em Dante, o capoeirista venceu o duelo.

Apesar do apoio da galera, o roqueiro Tony Smith não teve chance diante do gigante Xandão. Raros foram os momentos de contragolpes de Tony contra Xandão, que por diversas vezes pressionou Tony nas cordas, ergueu-o e o lançou fortemente contra a lona. Os dois chegaram a duelar fora do ringue e, ao final da disputa, Tony teve de ser removido desacordado pelos companheiros de equipe.

No quinto duelo da noite, uma luta incomum. O happer Mano Joe enfrentou a única lutadora, a poderosa Bianca. Com discurso machista, Joe menosprezou o seguimento feminino e arrancou vaias do público. Bianca, porém, provou que mulher tem força e lutou de igual para igual com ele. O duelo foi encerrado no 3º round após Joe ser punido por agredir o juiz, este que deu a vitória a Bianca.

Para encerrar o festival com chave de ouro, uma luta eletrizante. Maquiavélico Mozart contra o fora-de-série Bob Jr. A luta transcorria de igual para igual até o 3º round, quando Bob iniciou uma sequência de golpes e estava prestar a encerrar o combate. Nesse instante, os perdedores dos duelos anteriores invadiram o ringue e foram todos contra Bob, que, por sua vez, foi defendido pelos vencedores. Instaurado o tumulto, o juiz deu a luta por encerrada.

O aposentado João Silvério, morador de Agenor de Campos, é aficionado por luta e não perde um combate na TV. Ele disse ter adorado o evento e destacou que a última disputa foi a mais emocionante. “Sempre que tem esses shows aqui na Cidade eu compareço. É uma ótima distração.”

Antes de subir a serra de volta a São Paulo, Elvira Gualhardo foi com o marido assistir ao festival. “Vim passar o feriado na Cidade e tinha que dar uma passadinha aqui. O evento foi muito bom. Me diverti bastante, principalmente por ver a vibração das crianças. E a última luta foi a campeã. Foi a que eu e meu marido mais gostamos.”

Eduardo Rodrigues

Secom Mongaguá