Página Inicial | Mapa da cidade | Telefones Úteis | Fale conosco | Webmail | Horoscopo e tarot | chat | Receber noticias
Notícias :
Previous Next
Praia Grande: Salões, obras e escolas recebem agentes de combate à hepatite

Nesta semana, o Programa DST/Aids, da Secretaria de Saúde Pública (Sesap), vai realizar ações de orientação sobre hepatites virais, visitando salões de beleza e treinando agentes comunitários de saúde. Para as manicures, serão destacados os riscos da contaminação por objetos como alicates não esterilizados e até pelo esmalte de unhas. O programa incluirá ainda visitas a obras e escolas, alertando sobre o uso compartilhado de barbeadores.

Praia Grande: Salões, obras e escolas recebem agentes de combate à hepatite

O trabalho de conscientização será realizado por uma equipe de cinco agentes de prevenção e uma monitora. Segundo a coordenadora do programa na Cidade, Simone de Lara Castro, o objetivo é intensificar as ações de prevenção haja vista a rotatividade de trabalhadores nos salões. “Muitos estabelecimentos já receberam nossa visita, mas é preciso alcançar todos os profissionais para que não haja nenhum descuido”, ressaltou.

De acordo com a Seção de Informações da Sesap, desde ano 2000, Praia Grande conta com 364 casos de hepatite pelo vírus B eC. Neste ano, foram registrados cinco casos por hepatite B, um caso por hepatite C e dois casos por vírus não determinado. No ano passado, ocorreram 14 contaminações por hepatite B, 28 por hepatite C, um caso por Hepatite b e C e 14 casos de vírus ignorado.

Ações- As equipes destacam a necessidade de esterilização de todos os aparelhos que possam conter partículas de sangue.Conforme Simone Castro, mesmo o esmalte pode acomodar o vírus, ao tocar em uma parte da unha que tiver sido lesionada encontre algum tipo de vírus da hepatite. Ao voltar o pincel para o recipiente, o vírus pode permanecer vivo e contaminar outros clientes.

O trabalho de orientação é feito também nas Unidades de Saúde da Família, para agentes comunitários de saúde. Os profissionais aprendem a identificar uma doença, reconhecendo sintomas durante as visitas domiciliares. Os casos de suspeitas da doença são encaminhados às Usafas e depois direcionados para tratamento.

Nas obras, os agentes de prevenção aproveitam o horário de almoço dos operários para levar informações diversas, incluindo DST e Aids. Um álbum com fotografias das doenças é mostrado e informativos são distribuídos aos trabalhadores. O mesmo efeito em escolas estaduais, junto com o projeto Juventude Legal. Assim como os operários, os jovens são alertados a evitar uso compartilhado de barbeadores e também aprendem a como utilizar preservativos.

 

Secom Praia Grande